quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Baden Powell abrindo caminhos!!



Baden Powell é considerado um dos maiores violonistas de todos os tempos e um dos compositores mais expressivos da nossa música. Criador de um estilo próprio, foi o violonista mais influente de sua geração, tornando-se uma referência entre os violões havidos e a haver. Sua música rompe as barreiras que separam a música erudita da música popular, trazendo consigo as raízes afro-brasileiras e o regional brasileiro.


Tocava a música tradicional brasileira, mas amava o jazz e logo desenvolveu um estilo que se baseava em Django Reinhardt e Barney Kessel. Passou a ser conhecido internacionalmente em 1966 quando Joaquim Berendt teve a oportunidade de conhecê-lo, convidando-o para gravar seu primeiro disco e visitar a Europa.
O sucesso não o abandonou e sua fama foi aumentando com seus discos, principalmente na Alemanha. Continuou dando concertos, também nos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de se apresentar com Stan Getz.
Baden Powell tinha uma maneira única de tocar violão, incorporando elementos virtuosísticos da técnica clássica e suíngue e harmonia populares. Explorou de maneira radical os limites do instrumento, o que o transformou em uma rara estrela nacional da área com trânsito internacional.
Ele foi considerado por muitos um dos maiores violonistas de jazz desde o início da bossa nova. Já gravou muitos discos entre os quais é preciso mencionar “Baden Powell Quartet”, um álbum duplo gravado para a Barclay, “Stephane Grappelli - Baden Powell” (Fontana) e “Baden Powell” (MPS).
Depois de passar várias semanas no hospital, Baden Powell morreu a 26 de setembro de 2000, aos 63 anos.

Carinhoso



Tristeza & Solidão



até mais.


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Tablatura.

O que é a Tablatura ?
TAB ou Tablatura é um método de escrever arranjos de música para violão, guitarra ou baixo, usando símbolos, textos e números. Este método é simples e ideal para ser usado na Internet. Contudo a Tablatura não deve ser comparada ou confundida com a Partitura que trás muito mais informações sobre a música e exige um conhecimento mais profundo para ser interpretada.
A tablatura mostra as notas que devem ser tocadas nas devidas cordas e casas, também pode informar o tipo de afinação usada na música indicando o uso de capotraste para alterar tom da afinação. A tablatura também pode mostrar alguns efeitos que são usados em solos ou em trechos de uma música como Slides, Bends e outros.

A tablatura é muito simples de ser interpretada, começamos com 6 linhas (ou 4 para Baixo) que correspondem as corda do instrumento. As cordas estão ordenadas da mais fina para a mais grossa, as letras no lado esquerdo indicam as notas dadas pelas cordas em sua devida afinação.
e——————————
B——————————
G——————————
D——————————
A——————————
E——————————
Números serão escritos nas linhas indicando a casa no braço do instrumento onde a corda deve ser pressionada com a mão esquerda. Note que a tablatura não indica qual o dedo da mão esquerda que será usado para pressionar a corda.
e——————————————–
B——————————————–
G——————————————–
D——————————————–
A——————————————–
E—0–1–2–3–4—————————-

Execute o trecho acima, tocado uma nota de cada vez começando pelo número 0 que indica a corda solta, depois o 1 indica a primeira casa, depois o 2 indicando a segunda casa, e assim por diante.
Até mais.

domingo, 17 de outubro de 2010

ARPEJOS!!



Um harpejo (português europeu) ou arpejo (português brasileiro) (do italiano «arpeggio», isto é, «à maneira de harpa») é a execução sucessiva das notas de um acorde. Enquanto que num acorde as notas são tocadas simultaneamente, no arpejo essas mesmas notas são tocadas uma a uma.
Notação de um acorde em harpejo

Quando tocamos as notas de qualquer acorde uma de cada vez estamos executando o arpejo do respectivo acorde. Desta forma os arpejos se dividem em tríades e tétrades ( 3 e 4 notas ). Na guitarra os arpejos acabam ficando com uma digitação de praticamente 1 nota por corda o que facilita o uso do sweep para alcançarmos maior velocidade.

Vamos com arpejos bem simples para começar. Maiores e menores
   
maior:  63 52 55
menor  63 66  55

Obs; Essa tablatura é brasileira primeiro número é acorda e o segundo é a casa. Os exemplos estão em sol maior e menor um abraço.



quarta-feira, 6 de outubro de 2010

ALGUMAS Versões!!

 Olá pessoa! Então prometo não falar muito mais vou apresentar algumas versões de alguns artistas que acho que ficaram super legais e de um grande bom gosto nos arranjos. Afinal tem algumas gravações que ao invés de melhoras os caras pioram né.. Mais aqui vão algumas delas!! Mais essas são bem legais pelo menos eu acho RS que gosto é uma coisa muito pessoal né.. Ta ai. Eu posto a versão original depois a versão atualizada vamos dizer assim.
  
Essa é mais conhecida Eric Clapton!




Essa é da Banda inglesa chamada The Cure  anos 80. Versão de katie melua uma nova geração de cantoras de jazz muito boa... voz bem suave!





Agora vamos the beathes versão Tuck e patt não é para qualquer um não HEIN!!




Nirvana com Emilie Simon no piano.






E pra fechar! The police samba rock.




 

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

INTERVALOS! preciso descansar

Intervalo  parte 1

Intervalo é a relação entre as freqüências de duas notas. São classificados quanto à simultaneidade ou não dos sons e à distância (altura) entre eles. Na música ocidental, os intervalos são estudados a partir da divisão diatônica da escala. As unidades de medida de intervalos, baseadas na escala logarítmica, são o tom e o semitom. Para intervalos menores que um semitom, são utilizados o savart e o cent (o mais utilizado actualmente).

Resumindo galera um intervalo mede a distância entre dois sons. Para identificar um intervalo, devemos verificar sua Classificação Numérica e seu Tipo ou Qualificação.
Aristóxenes, filósofo grego discípulo de Aristóteles, é o autor dos mais antigos tratados sobre a Música. Em sua obra Elementos Harmônicos (350 AC) ele define o intervalo como sendo o espaço compreendido entre dois sons de tensões diferentes

Tipos

Na escala diatônica, a primeira classificação de um intervalo é quanto à ocorrência de simultaneidade em sua execução. Assim, o intervalo será melódico quando os sons aparecerem em sucessão um ao outro, ou harmônico, caso sejam executados no mesmo instante.

Intervalo Simples e Composto

O intervalo também pode ser simples ou composto, dependendo da distância entre uma e outra nota:
·         
    • Simples: Quando se acha contido dentro de uma oitava.
·         
    • Composto: Quando ultrapassa uma oitava.

Intervalo melódico

Pode ser classificado quanto:
·         
    • A posição do segundo som em relação ao primeiro. Assim, o intervalo será ascendente se o segundo som for de maior frequência (mais agudo) que o primeiro e será descendente caso o segundo som seja de menor frequência (mais grave) que o primeiro.
·         
    • A distância entre os dois sons. Será conjunto o intervalo que dista de um ou dois semitons (somente o intervalo de segunda) entre as notas e serão disjuntos todos os outros. Intervalo harmônico
O intervalo harmônico pode ser classificado somente quanto à distância entre os dois sons.

Bom é isso ai vamos devagarinho que depois eu posto a segunda parte um abração!!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

É pegar ou largar!! Aprenda fazendo




Muito dos alunos e pessoas que tocam ficam preocupados sim em aprender teoria  mais as vezes o que interessa para eles é juntar material ou pegar varias músicas de uma vez só e quando muitas das vezes não sabem nem tocar as que têm nas mãos.
Quando passo algum material para os meus alunos procuro logo pedindo para eles aplicarem em alguma coisa , seja teoria ou pratica principalmente envolvendo escalas ou acordes diferentes ou levadas.  Porque se você faz ali na hora e depois não toca mais acaba esquecendo isso é muito comum. Porque você começa a pegar coisas novas e esquece das anteriores. Por isso que EU sempre falo é pegar alguma coisa e jogar as idéias e novidades do aprendizado e ir aplicação em tudo.


Tocar com amigos, alunos, professores musicas que você gosta, sentindo prazer naquilo que toca deixando a musica fluir dentro de você. A música que você toca não tem que ser um sofrimento mais sim gostoso e prazeroso de se tocar, lembre- se a parte mecânica é importante pra se adquirir fluência no instrumento. Estude com calma sem ânsia de querer atropelar os exercícios e as musicas tudo tem seu tempo procure fazer sua parte você é responsável pelo seu nível o professor só te mostra o caminho, você que é responsável mais do que 50% do seu aprendizado musical. Não tem nada mais interessante do que você trocar idéias musicas com outros alunos e amigos. Posso dizer que você aprende muito mais compartilhando notas acordes as vezes teoria que você não entendeu de um modo, mais acaba aprendendo com um outro ponto de vista do companheiro ou amigo, cada um tem uma forma de tocar de um para o outro.  Afirmo isso porque cada aluno meu tem um jeito de pegar uma coisa e eu tenho uma forma de passar também para cada um. O que faz você tocar bem não é anos na escola tocando ou fritando em casa é sair pra tocar colocar a mão na massa é que nem jogar bola, um Ronaldo ou Pelé não seriam o que são se ficassem dentro do quintal jogando sozinhos. Quem nem dizia Noel Rosa em sua música:  Ninguém aprende samba no colégio  sambar é chorar de alegria é sorrir de nostalgia dentro da melodia.

Até mais.