quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A Forma Mais Simples de Tocar Violão

Com o avanço da tecnologia e a popularização da internet, a informação começou a chegar de forma muito mais rápida e simples na casa das pessoas. Em poucos anos vivemos mudanças revolucionárias como aulas pela internet, cursos de línguas pela internet, trabalho pela internet e muitas outras. Com a música não foi diferente. Hoje é possível aprender a tocar violão ou aperfeiçoar-se sem sair de casa.

As cifras sempre foram a forma mais simples de aprendizado do violão, mas antes eram difíceis de obter e nem sempre o aprendiz encontrava as músicas que desejava. Com a internet, em apenas alguns cliques ele encontra todo o material necessário para aprender a tocar as músicas de sua banda favorita.

O rock é geralmente o estilo musical escolhido por iniciantes, uma vez que entre os milhares de opções de músicas disponíveis, muitas são as mais simples. Além disso, é um estilo que costuma agradar bastante, principalmente os jovens e a maioria dos adultos. O rock é originalmente tocado com guitarra, mas o violão substitui perfeitamente o instrumento, dando um toque acústico ao estilo.

Claro que nem tudo é simples assim. Existem músicas complexas, com arranjos muito bem trabalhados, que exigem muito mais dedicação e muitas vezes até um professor. O ideal é sempre procurar um profissional que possa ensinar todas as técnicas, afinal a música é algo muito rico e cheio de detalhes. Mas para um iniciante que busca um pouco de treinamento em casa, existem diversas bandas, tanto nacionais quanto internacionais, que produzem melodias mais simples e fáceis de aprender.

Cifras de músicas podem ser representadas de forma gráfica: desta forma ela indica as posições dos dedos e são muito parecidas com tablaturas. Também podem ser representadas de forma textual, utilizando letras e números para indicar a nota. Como o rock é um estilo que combina muito com o violão e é muito admirado, logo vou listar algumas músicas, nacionais e internacionais, simples de tocar através de suas cifras. As músicas têm em média três acordes, o que facilita muito a execução.

 

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A Percussão



O som da percussão
 
Pela forma de produção de som característica da maior parte desses instrumentos, o som possui um ataque de curta duração. O som vai quase que imediatamente do silêncio à sua intensidade máxima e sofre um decaimento também muito curto.
A maior parte dos instrumentos de percussão possuem som de curta sustentação e param de vibrar muito rapidamente após o estímulo inicial cessar, mas essa não é sua característica fundamental, uma vez que existem instrumentos de percussão que produzem sons de longa duração, como os gongos e sinos.

Classificação
  
Embora coletivamente chamados de instrumentos de percussão, essa categoria pode ser subdividida por diversos critérios. As formas mais comuns de classificação dividem os instrumentos de percussão por definição do som (se podem produzir notas afinadas ou não), por método de execução (percussão, agitação ou atrito) ou por elemento produtor de som (idiofones, membranofones e cordas percutidas). Uma vez que nenhuma dessas formas é completa, em geral elas são combinadas. Assim podemos dizer que um xilofone é um idiofone percutido de altura definida e que um Taiko é um membranofone percutido de altura indefinida.
Abaixo, os métodos de classificação estão descritos em mais detalhes.

Por definição do som
Os instrumentos de percussão podem ser classificados de acordo com a possibilidade de produzirem sons de altura determinada ou indeterminada.








Altura indeterminada

 
A maior parte dos instrumentos de percussão. Esses são caracterizados pela ausência de escala, ou seja, produzem apenas um único som ou uma gama de sons muito reduzida. São utilizados precisamente pelo timbre e características sonoras que apresentam e geralmente possuem função puramente rítmica. Esses instrumentos produzem notas cuja altura não pode ser perfeitamente determinada, seja porque seus sons têm duração muito curta, seja por possuírem uma grande quantidade de parciais não harmônicos, ou ainda porque produzem variações aleatórias de altura ao longo de sua duração. Isso faz com que acompanhem bem, sem interferir na harmonia (sem que seus sons sejam percebidos como desafinados), canções compostas em qualquer tonalidade. São talvez a forma de instrumentos musicais mais antiga, dado que qualquer objeto consegue produzir sons simples: quer a bater, raspar, etc.
Entre eles podemos citar o agogô, afoxé, carrilhão, castanhola, chimbal, triângulo, blocos sonoros e muitos tipos de tambor.

Altura determinada
 
Instrumentos de percussão cuja vibração produz sons que obedecem à série harmônica e permitem a perfeita afinação de suas notas. Muitos possuem diversos componentes, cada um afinado em uma altura diferente, como os xilofones ou timbales. Outros permitem a variação de afinação durante a execução como o tímpano ou, ainda que de forma limitada, alguns tipos de tom-tom e o berimbau. Estes instrumentos podem exercer papel melódico ou harmônico em uma canção. Técnicamente, qualquer instrumento de cordas pode ser executado por percussão e nesse caso estaria enquadrado nessa categoria (como o piano ou um violão com cordas percutidas).

Até então é só pessoal!! Então estou postando esse assunto de percussão completo para maior compreensão, proximo poster será  forma de tocar e suas classificações.. 
até mais um abraço.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Você toca ou coleciona?

Hoje em dia tudo é descartável por causa da globalização da tecnologia evoluindo cada vez mais da internet deixando tudo mais fácil. Isso é ruim? Não! Mais devemos tomar cuidado e nos auto observar por que muita das vezes o que acaba acontecendo é isso você usa escuta algo uma vez acabou não absorve nada fica tudo guardado baixando centenas de música colecionado vários dvd´s e Mp3 da vida e ai?
Você conseguiu absorve alguma coisa no sentido melodia ,condução rítmica< acordes ou texturas diferente arranjos no geral?  Pois é isso que não acabamos fazendo!
É mais ou menos como você lê -se um livro e soubeu-se contar a historia sem a consulta do livro, ou seja, você fixou aquilo absorveu para si. Já dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade  e agora José! A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ?


Esse exemplo estou pegando como referencia, claro que da para interpretar com outras situações Ou seja, o poeta até chegar a outro "eu", "José" - "E agora, José?" ("José"), que se pergunta sobre o significado da própria existência e do mundo.
É mais ou menos assim acabou de baixar tudo, terminou sua coleção, entendeu tudo como deve fazer, sabe o que deve fazer, tem o instrumento legal na mão, internet. mp3
Etc... Mais você retém isso pra para si? VOCE TOCA OU COLECIONA?
Vamos lá e agora josé?

( Daniel Vacani )

                                                                     E agora, José?

A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ?
e agora, você ?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José ?
 
Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José ?
 
E agora, José ?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora ?
 
Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora ?
 
Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José !
 
Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José !
José, pra onde ?
Carlos Drummond de Andrade