quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

ORIGEM DAS 7 NOTAS MUSICAIS!

Você sabe a origem das notas musicais que usamos hoje? Pois é ela, ela teve origem no século X, e o responsável por isso foi um monge beneditino francês chamado Guido de Arezzo. Ele organizou o sistema de notação musical conhecido até os dias de hoje. Nos seus estudos  ele acabou percebendo que a construção de uma escala musical simplificada poderia facilitar o aprendizado dos alunos e, ao mesmo tempo, diminuir os erros de interpretação de uma peça musical. Contudo, de que modo ele criaria essa tal escala?
Para resolver essa questão, o monge Guido aproveitou de um hino cantado em louvor a São João Batista. Em suas estrofes eram cantados os seguintes versos:  

’Ut’’ queant laxis ~
´Re’’ssonare fibris
‘’
Mi’’ra gestorum
‘’
Fa’’muli tuorum,
‘’
Sol’’ve polluti
‘’
La’’bii reatum,
‘’S’’ancte ‘’J’’ohannes.
O ut foi depois substituído por  somente no século XVII.
O si é constituído pelas letras iniciais latinas de Sancte Johanes (São João: o j lia-se como i). 


Traduzindo para nossa língua, a canção faz a seguinte homenagem ao santo católico: “Para que teus servos / Possam,das entranhas / Flautas ressoar / Teus feitos admiráveis / Absolve o pecado / Desses lábios impuros / Ó São João”. 

Guido D'Arezzo (992  1050) foi um monge italiano e regente do coro da Catedral de Arezzo (Toscana), província de seu nascimento.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

OUVIR OU ESCUTAR


Ouvir e escutar são coisas completamente diferentes.
Ouvir está relacionado aos sentidos da audição, é superficial, não é absorvido como conhecimento ou aprendizado, não faz diferença alguma, pois logo pode se esquecido.
Escutar, porém, é prestar atenção, sentir, perceber, dar ouvidos. A escuta gera transformação quando a pessoa pensa no que escutou, guarda o que aprendeu e reflete sobre o assunto.
Ou seja, ele entende e compreender o que está sendo ouvindo no fator música. Procure escutar coisas sem pressa, a pressa faz com que você não se concentre no que esta sendo tocado. O escutar esta muito além do tocar, tocar qualquer um toca, pense no ouvido ativo ele não precisa do instrumento. Abaixo deixo um pequeno texto de Stravinsky reflita nele.
(Daniel Vacani)

Aqueles que tiveram contato com a música entendem-na melhor e, aqueles que entendem, escutam melhor. E nós nunca teremos um mundo no qual a música será genuinamente entendida, apreciada, contemplada e amada até que os ouvintes se tornem ativos novamente – ativos não apenas no desempenho da música, mas empregando esforços para participar inteligente e receptivamente em tudo o que eles ouçam.
(Igor Stravinsky)                            Obs: Quadro acima é O Grito de Edvard Munch